Sede CAU/TO

Proposta para o Concurso:

Concurso Público Nacional de Arquitetura para o Edifício Sede do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Tocantis.

Autores:

Arq. Andrei Português Rosa

Arq. Iuri Hausen Mizoguchi
Arq. Ivan Mizoguchi

Arq. João Heineck Kruse

Colaboração:

Arq. Miguel Cassanta Gavioli

Localização: Palmas/TO

Ano: 2018

QUANTO AO PROJETO:
1. Sendo impossível prever como, futuramente, se organizará urbanisticamente o entorno da sede do CAU – TO, PROPOMOS QUE, A PARTIR DOS LIMITES DO LOTE 37 (CAU–TO), A PAISAGEM ARQUITETÔNICA E URBANÍSTICA SEJA COMPLETAMENTE CONTROLADA. Para alcançar este objetivo, propomos, como LINHAS FUNDAMENTAIS DO PROJETO:

- Uma PRAÇA pequena, elemento paisagístico de CONEXÃO E TRANSIÇÃO entre o lote e a paisagem urbana, e de ACOLHIMENTO E RECEPÇÃO ao público. O espelho d’água serve como elemento animador e embelezador dos espaços externos.
- Uma EDIFICAÇÃO definida por:

a. DUAS PAREDES LINDEIRAS que limitam e definem as visuais, determinadas e organizadas a partir do projeto. De um lado, uma parede constituída por elementos vazados cerâmicos e, do outro lado, por parede cega de alvenaria;
b. Um protagonista e MARCANTE SISTEMA ESTRUTURAL independente (em aço),
c. LAJES PRÉ-MOLDADAS em concreto apoiadas sobre o sistema estrutural;
d. Um ESPAÇO HABITÁVEL constituído e conformado por uma caixa de vidro.
 

QUANTO À ORGANIZAÇÃO ESPACIAL-FUNCIONAL, propomos:
a. ACESSO GERAL por uma pequena PRAÇA;
b. Um BLOCO DE CIRCULAÇÃO VERTICAL facilmente visível e identificável para quem chega;
c. PAVIMENTOS LIVRES, tendo como elementos fixos apenas as áreas de serviços (sanitários, copas etc.);
d. Um ESTACIONAMENTO ABERTO, levemente rebaixado e o pavimento térreo levemente elevado em 0,90m (evitando, com esta solução, os subsolos);
e. Uma possível “EXPANSÃO” (conforme solicitado no edital do concurso) localizada sobre o bloco principal.
QUANTO AOS MATERIAIS CONSTRUTIVOS:
Propomos o uso de materiais “clássicos” na arquitetura brasileira:    
a. A CERÂMICA nos elementos vazados da divisa;
b. O CONCRETO APARENTE na caixa da circulação vertical;
c. O AÇO na estrutura;
d. A MADEIRA nos pergolados, em divisórias internas e nos brise-soleil.
QUANTO À ECOEFICIÊNCIA
Propomos, para o controle térmico, para o conforto ambiental e para economia no uso de sistemas mecânicos de condicionamento dos ambientes:
a. Um sistema de ventilação forçada por convecção em todos os ambientes;
b. Um lago como elemento de equilíbrio da umidade e temperatura geral;
c. Brise-soleils nas fachadas;
d. Um sistema de pérgolas de madeira na cobertura.

A SEDE DO CAU TOCANTINS
CONSIDERANDO QUE:
1. A paisagem urbana de Palmas, capital do jovem estado do Tocantins, apesar de nova, já apresenta as deformações e vícios de planejamento urbano comum em cidades brasileiras mais antigas;
2. Tais deformações e vícios nas cidades brasileiras resultam principalmente de ação permanente e decidida de agentes políticos e econômicos sobre a cidade, em geral desvirtuando um de seus objetivos mais elevados - que é o de servir como habitat seguro, confortável e agradável para o ser humano;
3. Sendo um dos objetivos da arquitetura o de contribuir para ajudar a organizar a cidade como um todo, tanto do ponto de vista físico-espacial quanto da estética urbana;

PROPOMOS QUE:
1. O edifício sede do CAU/TO seja uma REFERÊNCIA POSITIVA na paisagem da cidade;
2. O edifício sede do CAU/TO possa servir como ESTÍMULO E EXEMPLO para ações de qualificação da vizinhança urbana;
3. O edifício sede do CAU-TO SIMBOLIZE E EXPRESSE, COM VIGOR E CLAREZA, a capacidade transformadora e modernizadora da boa arquitetura.
 

PAVIMENTO TÉRREO
 

PAVIMENTO SUPERIOR
 

COBERTURA